quinta-feira, 24 de julho de 2008

POETIZANDO!!!


TRANQUILO COM MIJO DE ESQUILO



Tranqüilo, tranqüilo, tranqüilo.

Dizia eu de meu estilo

Quando o outro zumbe

hiiiii...viu passar a correr aquele esquilo?

Mas estamos na urbe...

que porra

que esquilo?

Já não existem nem no Campo Santana

Não...não...não mete a mão naquilo

E o que é que tem?

é a bunda do Esquilo

caralho...e minha mulher

A ana

É lá esquilo, o doido?

Eu sabia que não deveria

ter bebido aquilo...

Que qui tu bebeu afoito?

O mijo do esquilo

Ah!!pro caralho

tu tá doido

Õ matraquilho?


por Sylvio Netto

Um comentário:

sylvio neto disse...

Não poderia vir aqui a sua sala de memórias e sair sem deixar um alô ao menos...mano...Muito obrigado por esta onda com que me abraças...Muito gentil de tua parte dividir teu espaço com este careca imundo que conclama seus neurônios a cessar o envia incessante de letras e palavras que saltitam tal qual pipoca e que fogem,saem, saltam versos, cronica, poemas e quase poemas pela boca, nariz, mãos, cabeça, tronco e membros...Muito obrigado mesmo
sylvio neto