segunda-feira, 11 de maio de 2009

PALAVRÓRIO!!![ É o fim da música!?!?É o fim da canção!?!?]

É O FIM DA MÚSICA???É O FIM DA CANÇÃO???

Há algum tempo ouço rumores do fim da música,é,não se espante algumas cabeças coroadas estão escrevendo,falando,postando sobre o fim da música.Um deles foi o Nelson Motta que é jornalista,compositor,escritor,roteirista,produtor musical e outras coisas mais, e escreveu no Opinião do Globo sobre,Chico Buarque no documentário "PALAVRA (EN)CANTADA" disse que a canção pode acabar acusando o RAP de ser o principal homicida.E a tese voa...
Não vejo o fim de nenhuma nem outra e sim ma nova maneira de consumir(o palavrinha desgraçada) e fazer música.Qual foi o último CD que vc comprou???Qual o último artista que realmente arrastou multidões???Esta perguntas poderia nos levar a um certeza de pedra,mas não,observem a quantidade de música que está sendo produzida neste momento que vc está lendo estas mal-traçadas é so dar um rolázinho nos Myspace,BDG,Slicemypie e os números de produções exlodem em progressão geométrica.Agora se pensarmos como as grandes gravadoras,as rádios comerciais, aí sim a música acabou,pois eles só vem PRODUTO!!!


Ilustração:The Garden of Earthly Delights: Hell, detail of musical instruments from the right wing of the triptych, c.1500
Hyeronimous Bosch




3 comentários:

z e r 0 disse...

salve!
concordo inteiramente com a sua crítica.
apesar das dificuldades, esse é o cenário da divulgação da música e da cultura em geral.
hoje o artista tem que ser, além de talentoso, capaz de investir no marketing pessoal, sem perder a sua identidade neste processo, sob pena de virar um produto de consumo (como vc mesmo disse) estéril e artificial.
mas é isso, continua na batalha que os frutos virão, sem dúvida!
paz!

Lisa Stér Cöy disse...

Bom...
Hoje a música está vendida, creio que seja este o motivo de desvalorização emocional. Da descrença de que a música vem do interior, da alma. Hoje a música vem do boldo das gravadoras, ou pelo menos a música reconhecida vem dos bolsos das gravadoras. Assim como as letras reconhecidas vem dos bolsos das editoras. É fato. A música nunca irá acabar, seja o estilo que for. Sempre haverá música ao nosso redor, basta sentir.

Bjs!

Rafael Saraiva disse...

Apesar da nossa era "sampleada" e de sucessos duvidosos, nunca irei acreditar no fim da música, mas infelizmente sinto uma desvalorização imposta midiaticamente sobre o que é música, beirando à banalização consumista acima do prazer de ouvir música.

Apesar disso, defendo a democratização do consumo da música e acho que gosto é uma questão pessoal, que envolve experiência e contato. Porém, a grande questão talvez seja o "sucesso" de porcarias divulgadas em programas de auditório no lugar do apoio que deveria ser dado a artistas com potencial, só para citar um exemplo constante.

Um grande abraço!